Mochilão América do Sul – Dia 19

Dia 19 – 01/05/12 – 3ª-feira

—————

Para ouvir:

Led Zeppelin – Immigrant Song

—————

É baixa temporada por aqui. Por isso, o El Gualicho vai ficar fechado por duas semanas. Ou seja, tenho que procurar outro lugar pra ficar. Decido ir pra Península Valdés de ônibus. Posso dormir por lá e volto amanhã. Ou não! Os ônibus pra lá estão todos lotados. Vou pro centro e fico no El Retorno Hostel.

A cidade está deserta. Como é feriado, não tem nada aberto. Alugo uma bike em um quiosque na praia. A atendente diz para eu não tirar o olho dela, já que não tem cadeado. Sem problemas, vou pra onde não tem ninguém. Pedalando, passo o monumento do índio, chego à próxima praia. Algumas pessoas tomam mate, outras pescam. Continuo pedalando. Paro só pra tirar fotos. O lugar é lindo! Por um tempo, até esqueço a preocupação com o cartão.

Um pouco mais à frente, muitas aves repousam na areia. Tá muito pacata essa vida, hora de dar uma agitada. Ligo a câmera no modo vídeo e vou pedalando na direção delas. Começam a voar e formam um visual lindo. Que beleza! Não vi baleias, provavelmente não verei, mas tá ótimo. Quem precisa de baleias pra se divertir?

Faço a curva na praia e chego ao braço de terra que avança sobre o mar. Não têm mais areias, só rochas. Desço da bike e vou empurrando. Subo um pequeno morro e me deparo com várias dunas. Um pessoal vem de carro pra cá. Nas dunas mais próximas da estrada, lá do outro lado, famílias tomam mate, crianças se divertem nesse parque de areia sem fim, dois ou três buggies sobem e descem. Mais uma vez, a paisagem é incrível!

O sol está sempre na mesma posição. Meio-dia, duas ou quatro da tarde, tanto faz. Ele nunca chega ao topo do céu.

Quero ver o que tem do outro lado das dunas. A esperança é que seja uma colônia de leões-marinhos. Pinguins já sei que não tem, estão em época de migração. Deixo a bike em cima de um dos montes e vou andando. Cadeado pra que, se não tem ninguém para roubá-la? Ando, ando, ando e não chego do outro lado. É mais extenso do que parece. Com certeza não tem nada, se tivesse esse pessoal estaria lá. Melhor voltar, ainda tenho uma caminhada até a cidade.

A bike está mais pra lá, acho que ali naquele monte. Não, não está. Esse lugar é tudo igual. Dou uma volta 360º. O desespero bate. Ferrou, perdi a magrela. Ando pra cá, corro pra lá e nada. Deveria ter deixado em pé. Melhor pensar com calma. Eu vim naquele sentido, quando deixei a bike podia ver a praia lá embaixo. Daqui não consigo, então está mais pra lá. Ando, subo numa duna um pouco mais alta. Me ferrei, vou ter que voltar a pé por duas horas, se não mais, pagar uma bike nova e ainda ouvir a menina dizer: “eu não disse pra não tirar o olho dela?” Sim, disse, mas com medo de que alguém a roube, não porque eu poderia perdê-la no deserto. O certo é tentar refazer o trajeto. Quando eu comecei a descer ainda com ela, um buggy passou por ali. Dá pra ver a marca do pneu da bike aqui. Tô no caminho certo. Só tem uma coisa estranha. Eu ainda estava sentado nela, mas tem marcas de tênis na areia. Será que aqui eu já estava empurrando? Ando mais um pouco, o caminho de areia acaba. Não está aqui. O sol está começando a descer. Se ao menos eu tivesse visto uma baleia daqui de cima. Uma última olhada. Nada de baleias. Mas olha quem está ali! Filha da puta, que mania besta de ficar se escondendo. Vamos embora, chega de aventuras por hoje.

Devolvo a bike, tudo certinho! Do outro lado da rua tem uma operadora de mergulho. Vou lá. Tem saída pra mergulho em naufrágios, em áreas comuns e o famoso “buceo con lobos mariños”. Explico pro cara que estou sem meu cartão pra sacar grana. Já pedi pra me mandarem um novo, assim que chegar, venho reservar. Pagar com Visa é um opção, mas em grana tem desconto. Mais negócio.

O calçadão na praia está cheio. Gente andando, correndo, patinando, pedalando, tomando mate. O clima ameno e a tranquilidade da cidade são convidativos pra sair de casa. Menos pra mim, que fiquei fora o dia todo, tô cansado e com fome. Volto pro hostel descansar, amanhã tenho que acordar cedo pra ver como está a situação do cartão. Força!

Mais fotos de Puerto Madryn!

Anúncios

~ por rocisman em 22/11/2012.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: